CAPACITAÇÃO: Porto Velho oferece especialização em saúde aos servidores municipais


Pós-graduação sobre vigilância em saúde termina em março de 2023

Porto Velho, ROUm convênio firmado entre a Prefeitura de Porto Velho e a Faculdade Uniron deu início, no último fim de semana, à turma de pós-graduação em Saúde Pública com ênfase em vigilância em saúde. A qualificação profissional é ofertada a 30 profissionais de saúde e tem sua finalização prevista para março de 2023.

Durante oito meses, os servidores públicos receberão capacitação sobre vigilância em saúde, vigilância epidemiológica, saúde do trabalhador, vigilância sanitária, e vigilância ambiental. Conhecerão sobre a rede de atenção em saúde, legislação do Sistema Único de Saúde (SUS) e políticas públicas.

Na primeira aula, que começou no sábado (9), teve início o módulo sobre liderança e trabalho em equipe e os estudos seguintes serão a cada quinze dias. “Essa é uma turma exclusiva de profissionais selecionados pela Semusa para atender uma demanda do município que é capacitar seus colaboradores para atuar nessa área”, diz Lisséia do Valle, coordenadora de pós-graduação da Faculdade Uniron.

Turma deve concluir especialização em março de 2023

Antes da pandemia foi concluída uma turma de trabalhadores da secretaria sobre estratégia em saúde da família. Angelita Mendes, coordenadora do Núcleo de Gestão da Educação Permanente (Nugep), explica que a faculdade utiliza os espaços das unidades de saúde como prática em saúde e a secretaria forma os trabalhadores para atenderem com qualidade os usuários da rede municipal.

“Essa pós-graduação só vem a somar com os nossos servidores. Traz uma expertise que o nosso servidor precisa para melhorar sua escolaridade e a qualidade da nossa assistência ao usuário”, diz Angelita.

Ivonete Ferreira de Oliveira Santos trabalha como gerente da vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Para ela, a especialização vai ajudar no trabalho diário. “Vai aprimorar nossos conhecimentos. A gente aprende na vivência do cotidiano, mas essa pós-graduação vai trazer o teórico para a gente associar na prática”, afirma.

Ao final da especialização, cada grupo de alunos apresentará um plano aplicativo ou plano de intervenção baseado em um problema de saúde e, por conseguinte, uma solução. “Será o momento que vão aplicar os seus conhecimentos fazendo o levantamento dentro da sua realidade ou território e a aplicação de uma solução que é uma construção positiva para o serviço público de saúde”, finaliza Lisséia.


Fonte: Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem