ELEIÇÃO: Pré-candidato ao Senado Federal visita Alto Paraíso


Para a região do Vale do Jamari, onde ele reside e tem sua propriedade rural, Léo Fachin afirma que pretende trabalhar pela qualificação da mão de obra

Porto Velho, RO – O produtor rural e juiz aposentado Léo Fachin (à esquerda na imagem) esteve em Alto Paraíso nesta terça-feira, ocasião em que realizou atividades para promover sua pré-candidatura ao Senado Federal pelo Avante.
Ele participou de entrevista à Rádio Cidade FM, esteve com o prefeito João Pavan (sem partido, e à direita na foto) e fez visitas a amigos e produtores da cidade.

Fachin está concorrendo pela primeira vez a cargo eletivo, e se vale de sua experiência como magistrado, advogado e produtor rural para defender uma agenda propositiva para seu projeto político, baseada em uma atuação mais técnica e abrangente no Senado Federal, caso confirme sua candidatura e se eleja para o cargo.

O pré-candidato acredita que um cargo com o peso político como o de senador da República permite uma atuação mais efetiva no que diz respeito a renovar o arcabouço legal e jurídico do país, modernizar o sistema Legislativo e atuar em ações efetivas para a nossa região, como lutar por uma renovação na legislação ambiental que permita a exploração racional da floresta e coíba abusos de agentes públicos que atuam na fiscalização.

Ele também pretende defender agendas que tragam o desenvolvimento para o Estado e para a região, porém que também promovam melhorias na vida de toda a população, e não apenas de determinados segmentos. A duplicação da BR 364, além da instalação de um terminal ferroviário em Rondônia e a luta pela viabilização da saída para o Pacífico são temas que estão no radar do pré-candidato.

Para a região do Vale do Jamari, onde ele reside e tem sua propriedade rural, Léo Fachin afirma que pretende trabalhar pela qualificação da mão de obra, estímulo ao setor produtivo através de ações de fomento.

Em termos institucionais, Fachin defende a independência, equilíbrio e autonomia entre os Poderes, fatores que considera estarem em desiquilíbrio nas relações dos entes republicanos, assim como espera que o eleitorado tenha consciência na hora de votar, escolhendo entre os candidatos quem tem histórico positivo, particularmente no que diz respeito a utilização de recursos públicos.

Fonte: O Observador

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem