Panificadora é interditada pela Vigilância Sanitária durante operação de fiscalização



Porto Velho, RO - Uma panificadora, localizada na avenida Calama, região central de Porto Velho, foi interditada pela Vigilância Sanitária Municipal, por irregularidades incompatíveis com as normas de saúde, na manhã desta quinta-feira (24), durante uma operação de fiscalização coordenada pela Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (DECCON) da capital, em conjunto com o Procon e Ipem. O jornal apurou que a panificadora é a Norte Pão, que permanecia fechada na manhã desta sexta-feira (25).

De acordo com a delegada, Noelle Leite, a ação foi em atendimento a inúmeras denúncias da população sobre práticas abusivas praticadas pelas panificadoras da capital.

Com o objetivo de cumprir os princípios da impessoalidade e razoabilidade foram escolhidos quatro alvos na capital, com finalidade de atender as zonas norte, sul, leste e central.



Na panificadora interditada, a Vigilância Sanitária encontrou irregularidades insanáveis e que estavam totalmente incompatíveis com as normas da saúde municipais. A interdição tem duração até que todas as irregularidades sejam sanadas.

Durante a fiscalização, foram recolhidos inúmeros produtos expostos à venda vencidos, que foram apreendidos e encaminhados para perícia, o que certamente ocasionará a instauração de inquéritos policiais para apuração de cada fato constatado.

O Procon realizou notificações, instruiu os comerciantes e também autuou estabelecimentos irregulares, durante a fiscalização.

O Departamento de Vigilância Sanitária Municipal verificou os alvarás e licenças para funcionamento dos estabelecimentos, instruiu os comerciantes e também autuou estabelecimentos irregulares.

O Ipem, por sua vez, aferiu as balanças em todos os estabelecimentos visitados e orientou os comerciantes da capital acerca das peculiaridades legais sobre pesagem dos alimentos.

A delegada Noelle Leite, afirma que as fiscalizações dessa natureza irão continuar atendendo as denúncias da população de Porto Velho. Ela agradeceu ainda, a população que tem denunciado através do 197 da Polícia Civil e 151 do Procon, fator essencial ao sucesso das investigações policiais.

Fonte: Rondoniagora

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem