TEATRO FANTOCHES: Servidores do Detran Rondônia aprendem a manipular fantoches em Encontro Pedagógico de Ouro Preto do Oeste

Teatro de fantoches é uma ferramenta importante na Educação de Trânsito

Porto Velho, RO - O teatro de fantoches é uma arte que exige muitas habilidades e foi inserida na programação do Encontro de Planejamento Pedagógico do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Rondônia uma “Roda de Conversas”, para que os servidores que trabalham com Educação de Trânsito aprendam noções de como manusear fantoches para que possam criar peças teatrais para trabalharem como crianças. O Encontro Pedagógico está sendo realizado no auditório da unidade do Detran na cidade de Ouro Preto do Oeste e vai até sexta-feira (1º).

A “Roda de Conversa”, é ministrada pelo diretor Técnico de Educação de Trânsito (Dtet) Ruymar Pereira que é artista e produtor profissional de teatro, “repassar conhecimentos que vão ajudar os servidores da autarquia a manipular os fantoches, que é um atrativo para o público infantil e também adulto, é uma forma de levar conhecimento na área de Educação de Trânsito para as pessoas de forma leve, descontraída e inteligente que é por meio da arte”, ressaltou Ruymar Pereira.

O teatro de fantoche é uma ferramenta pedagógica importante na Educação de Trânsito e atendendo a pedidos dos servidores foi inserido na programação do Encontro Pedagógico do polo de Cacoal realizado na semana passada uma “Roda de Conversa” onde foi muito produtivo e teve grande aceitação entre os servidores que passarão a utilizar o teatro de fantoches em suas atividades educativas de trânsito.

“Passamos algumas técnicas de alongamentos e manipulação de fantoches, quem tiver interesse vai praticar e com certeza vão conseguir inserir o teatro de fantoches em suas atividades”, afirmou o diretor de Educação de Trânsito.

Aquecimento e alongamento são fundamentais para sucesso do teatro de fantoches

O teatro fantoche é uma ferramenta pedagógica muito importante que tem grande poder de transformação, principalmente junto ao público infantil e ao mesmo tempo muito complexo, porque o boneco tem que ter vida própria através de seu manipulador.

O boneco deve ter entre 30 e 40 centímetros de cumprimento para facilitar a manipulação e também para não cansar o braço do manipulador, já que todo o manuseio é feito com o braço em posição em “L”.

Por isso, antes de qualquer atividade com fantoches é importante fazer alongamento e aquecimento, pois a desenvoltura do manipulador dependerá o sucesso do teatro, “pois é o manipulador que dá vida ao fantoche, por isso foram ensinadas técnicas de aquecimento e alongamento”, disse Ruymar Pereira.

O diretor de Educação de Trânsito, também explica que o boneco tem vida e personalidade própria, se o fantoche for do sexo feminino, vai falar e se comportar como uma menina, começando pela roupa. E se for do sexo masculino a mesma coisa, a criança ou o adulto precisa acreditar na história que está sendo contada pelo “personagem” que foi criado pelo manipulador.

Ruymar Pereira explica que tudo é observador pelo público que estará assistindo o teatro, o boneco é um objeto inanimado até que o manipulador lhe dê vida, por meio da forma de se expressar pelo modo como o manipulador conduz o fantoche, por meio da voz e seus trejeitos, a percepção e domínio do movimento, para adquirir o máximo de sincronismo e naturalidade quando estiver interpretando com o fantoche, é o segredo para prender a atenção de crianças e adultos.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem