ANÚNCIO: Primeiro grande investidor do Facebook deixa conselho da empresa

Cofundador da companhia de pagamentos online PayPal, Thiel tornou-se investidor do Facebook em 2004

Porto Velho, RO - O bilionário Peter Thiel, primeiro grande investidor do Facebook, está deixando o conselho da empresa. O anúncio foi feito pela companhia de Mark Zuckerberg nesta segunda-feira, 7. De acordo com fontes ouvidas pelo jornal The New York Times, Thiel voltará sua atenção à política, direcionando esforços para as eleições do Congresso americano em novembro.

Cofundador da empresa de pagamentos online PayPal, Thiel tornou-se investidor do Facebook em 2004 com um aporte inicial de US$ 500 mil – no ano seguinte, passou a fazer parte do conselho da empresa. Nos últimos anos, ele ficou conhecido como uma rara voz da política conservadora no Vale do Silício: o investidor apoiou publicamente a campanha do ex-presidente Donald Trump em 2016 e tem feito doações para campanhas de candidatos republicanos.

“Peter tem sido um membro valioso de nosso conselho e sou profundamente grato por tudo que ele fez por nossa empresa”, disse Zuckerberg, em comunicado nesta segunda-feira. “Peter é realmente um pensador original para quem você pode levar seus problemas mais difíceis e receber em troca sugestões únicas. Ele atua em nosso conselho há quase duas décadas e sempre soubemos que em algum momento ele dedicaria seu tempo a outros interesses.”

O cofundador do Paypal deixou o Facebook acenando para Mark Zuckerberg. “Os talentos dele servirão bem à Meta (controladora do Facebook). Ele lidera a empresa em uma nova era”, disse o investidor, em nota. O Facebook afirmou que Thiel continuará a participar da reunião anual de acionistas da empresa.
Turbulência

A saída de Thiel acontece após uma semana difícil para o Facebook, que apresentou resultados decepcionantes no balanço financeiro relativo ao quarto trimestre de 2021. Depois de crescer ininterruptamente pelos últimos 18 anos, chegando a quase todos os cantos do mundo, a empresa de Mark Zuckerberg deu sinais de estagnação pela primeira vez: segundo o documento divulgado na última quarta-feira, 2, o Facebook perdeu cerca de 500 mil usuários diários globalmente nos últimos três meses do ano passado – o número passou de 1,93 bilhão para 1,92 bilhão.

Além disso, a companhia detalhou como deve ser impactada pela nova política de privacidade do iPhone, que agora força os usuários a escolherem se querem compartilhar informações pessoais para receber anúncios mais segmentados, principal negócio do Facebook e Instagram. Nos últimos dias, a companhia sofreu uma queda de 25% em seu valor de mercado.

Fonte: Estadão

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem