Polícia Federal prende servidor público cobrando para registro migratório em Guajará-Mirim


Segundo se apurou, o servidor valia-se de sua função pública para cobrança de valores indevidos

Porto Velho, RO  -
A Polícia Federal prendeu em flagrante, na manhã do dia 29/12/2021, servidor público pela solicitação de valores indevidos em razão da sua função, cometendo, em tese, o crime de corrupção passiva.

A ação decorreu de investigação da Polícia Federal iniciada em virtude de denúncias (notícias-crime) de que o servidor estaria cobrando valores para o registro de entrada e saída de pessoas do Brasil através desta região fronteiriça.

Segundo se apurou, o servidor valia-se de sua função pública para cobrança de valores indevidos sob a justificativa de que a própria Polícia Federal cobrava multas para o registro migratório, fato este inverídico.

A situação flagrancial deu-se no momento em que o servidor solicitou valores de turistas no Porto Oficial de Guajará-Mirim/RO.

Com o suspeito foi encontrado e apreendido, também, 01 (um) aparelho celular e R$ 400,00 (quatrocentos reais) em espécie.

As investigações continuarão, alertando-se à população que a Polícia Federal não solicita valores em espécie de migrantes. Ademais, qualquer multa ou valores devidos à instituição devem ser pagos por via boleto bancário em nome da PF.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem