FOMENTO: Seminário para elaborar o Plano de Desenvolvimento da Agricultura Familiar de Guajará-Mirim acontece nos dias 11 e 12



Foco da Seagri é fomentar a Agricultura Familiar nos 52 municípios de Rondônia a partir do esforço local

Porto Velho, RO - O município de Guajará-Mirim será sede do Seminário para a elaboração do Plano de Desenvolvimento da Agricultura Familiar que acontece nesta quinta-feira (11) e sexta-feira (12), no Auditório da Fundação Universidade Federal de Rondônia (Unir), situado à BR-425, nº 6656. O evento é uma ação do Governo de Rondônia e contará com a participação da Prefeitura, Câmara de Vereadores, bem como representantes de instituições que atuam no setor produtivo da agricultura familiar rondoniense.

A proposta, conforme destacado pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), por meio do Núcleo Estadual de Arranjos Produtivos Locais (NEAPL-RO) é destacar o planejamento com medidas que vão ao encontro do plano estratégico voltado para o ramo.

Conforme antecipado pelo secretário da Agricultura, Evandro Padovani, para a realização do evento foram convidados representantes de associações rurais, extrativistas, cooperativas, comunidade acadêmica, índigenas, Organizações Não Governamentais (ONGs), instituições públicas e representações.

“A participação tanto do Estado de Rondônia quanto do município de Guajará-Mirim e a sociedade civil organizada são fundamentais para elaborar, planejar e executar o primeiro Plano Estratégico para a Agricultura de uma cidade como plano piloto”, ressalta o secretário da Seagri.

NÚCLEO ESTADUAL

O Núcleo Estadual de Arranjos Produtivos Locais foi criado por decreto e desde 2008 está sob coordenação da Seagri. As atividades do núcleo foram ainda mais fortalecidas neste ano de 2021 por determinação do titular da pasta da Agricultura, Evandro Padovani, a fim promover trabalhos e diminuir “os principais gargalos das cadeias produtivas dentro dos arranjos produtivos homologados”.

As primeiras ações consistiram em capacitação para os componentes do organismo, e isto nos mais diversos campos que são inerentes à característica das cadeias produtivas inclusivas.

Também fora sacramentada a implantação das Governanças Municipais locais, gerando, a partir daí, ainda de acordo com Padovani, “o entendimento de que os processos iniciam nos municípios, logo as iniciativas devem ser despertadas pelos grupos locais”.

Sendo assim, foram implantados 52 grupos de Governanças Municipais com a participação das instituições estaduais. Além da Seagri, estão envolvidas a Secretaria de Finanças do Estado (Sefin), a Secretaria do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), a Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO), a Agência de Defesa Sanitária Agrossilvopastoril de Rondônia (Idaron) e órgãos prioritários para os arranjos de Rondônia.

Também estão envolvidas nos projetos anexados ao núcleo, as instituições municipais de cada cidade, como prefeituras e suas secretarias de Planejamento, Agricultura, Meio Ambiente e Vigilância Sanitária.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem